Meu desejo

Eu sei exatamente como você se sente. Só quem recebeu um diagnóstico difícil para o filho sabe se colocar no seu lugar.

É como se você tivesse toda a vida desenhada em um caderno e, de repente, todas aquelas páginas foram arrancadas e você não tem a menor ideia de como recomeçar os planos.

Sei que você sente como se o bebê que ganhou – e pra quem fez tantos planos – tivesse sido arrancado de seus braços. E, em seu lugar, colocaram uma criança frágil, quase um estranho, que você ainda nem começou a conhecer melhor.

Sei que você está se sentindo sem chão, como se tivesse perdido o futuro, como se não houvesse esperança nenhuma de ser feliz…do seu filho ser feliz. Sei que você chora à noite, quando ninguém está olhando, porque não quer preocupar mais ainda sua família.

Sei que, nesse momento, é doloroso demais pra você olhar as fotos do seu filho quando bebê, com suas bochechas rosadas, seu sorriso banguela, sua inocência tão marcante.

Sei que você sente que precisa ser a mais forte no meio dessa situação, para que seu marido e seu filho possam se apoiar em você. E que, por isso, muitas vezes o peso é tão grande que você pensa que vai desmoronar.

E é por isso, porque estive lá, que posso te desejar algumas coisas, do fundo do meu coração.

Desejo que seu luto seja breve, mas suficiente. E que você tenha forças para recolher seus cacos e ir à luta.

Desejo que você encontre médicos e profissionais interessados no seu filho, e não em síndromes, doenças, dinheiro ou reconhecimento.

Desejo que você encontre outras mães que já passaram pela mesma situação. E que elas te mostrem que tudo vai melhorando. A gente, inclusive, vai melhorando! E que pra tudo tem um remédio. Há, sim, uma luz no fim do túnel!

Desejo que você e seu marido saibam respeitar e lidar com as diferenças com que cada um recebeu a situação.

Desejo que você tenha a humildade necessária para pedir ajuda quando suas pernas fraquejarem. Porque elas vão fraquejar! Você é apenas humana.

Desejo que você tenha bom senso para colocar o bem estar do seu filho à frente de qualquer tratamento ou intervenção. E que a incessante busca pelo filho idealizado perdido não faça você sacrificar a criança que tem em casa.

Desejo, sim, que você conheça profundamente essa nova criança, que a ame, que reencontre nela a alegria perdida.

Desejo que você tenha o coração aberto para entender que os aprendizados mais profundos nessa jornada serão seus. E que, se você não sair dessa experiência melhor do que entrou, você realmente não entendeu nada.

Desejo que você perceba, rapidamente, que a vida continua. E que há coisas legais pra fazer, lugares para conhecer, pessoas para encontrar, experiências para trocar.

Desejo que você nunca, jamais, ceda à amargura, que é a morte em vida. Uma criança não merece sentir que carrega nas costas o peso da infelicidade dos pais.

Desejo que você consiga redefinir o sentido da felicidade, do belo, do perfeito, do próprio progresso. E que você consiga desenhar outros sonhos, outros planos, outras metas.

Acima de tudo, desejo paciência infinita para tentar, tentar e tentar. E para nunca duvidar do potencial do seu filho, por mais que todas as outras pessoas o vejam de forma diferente.

E, para terminar, desejo saúde para que você possa colher os frutos dessa caminhada no futuro.

E que, ao olhar nos olhos do seu filho daqui a 20 anos, você possa sentir que tudo, absolutamente TUDO, valeu a pena!  

Andrea  

(Os conteúdos produzidos por Andrea Werner neste site e disponibilizados no site são protegidos por copyright e não podem ser reproduzidos, total ou parcialmente, sem autorização expressa da autora, mesmo citando a fonte)

Imagem: Shutterstock

  1. Facebook

  2. Twitter

  3. E-mail

#blogmaterno #mãeespecial #paisdecriançasespeciais #austimoinfantil #criançaespecial #autismoregressivo #andreawerner #descobertadoautismo #maternidadeespecial #transtornoglobaldodesenvolvimento #criançaautista #diagnósticoautismo #autismoembebês #transtornosdoespectroautista #autista

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube

Copyleft © 2021 Instituto Lagarta Vira Pupa.

 

O conteúdo deste site, exceto quando proveniente de outras fontes ou onde especificado o contrário, está licenciado sob a Creative Commons by-sa 3.0 BR.