“Pupa, pupa, pupa, lagarta vira pupa”

Quando o meu filho, Theo, tinha um aninho, ele adorava cantar algumas músicas, principalmente as do Cocoricó. Sua favorita era a da “Metamorfose da Borboleta”. A borboleta, inclusive, era o bicho favorito dele nessa época.

Cantávamos uma frase e ele continuava:

– (Eu): “Até o nome ela mudaaaa…”

– (Theo): “…pupa, pupa, puuupaaa”

E a gente morria de orgulho!

E, por isso, quando o médico me falou assertivamente “seu filho não fala”, retruquei de imediato:

“Como não fala? Você mesmo não viu ele cantar? Falou várias palavrinhas”!

E, daí, vieram as perguntas em sequência: “ele te chama? Ele chama ‘mamãe’? Ele pede água”?.

“Não, doutor. Ele não faz nada disso”.

E foi aí que começou a nossa grande jornada: o momento da descoberta de que tínhamos um filho autista.

Atualmente, todos nossos esforços tem esse objetivo: que o Theo consiga romper seu casulo e voar.

Resolvi fazer esse blog por vários motivos: para ajudar pessoas na mesma situação, para dividir angústias e alegrias e para documentar a rica história do meu menininho.

Que ele possa, no futuro, ler o que ficou registrado aqui e ter muito orgulho de suas conquistas e superações!


Theo com 1 aninho


P.S: Continue a ler AQUI e entenda como foi o processo do diagnóstico!

  1. Facebook

  2. Twitter

  3. E-mail

#autismoinfantil #sintomasautismo #andreawerner #descobertadoautismo #sobreautismo #autismo #oautismo #autismoembebês #primeirossinais #sintomasdeautismo #oqueautismo #mãe #autista #autistas