Theo: sinais de autismo aos 2 anos

Como eu já tinha comentado no post anterior, o Theo começou a ficar mais “sério” após o primeiro aninho. A gente notava, também, que era muito difícil chamar a atenção dele pra que ele olhasse pra câmera na hora das fotos. Vou tentar mostrar, aqui, alguns sinais que ele já demonstrava de que tinha algo errado. Acho que isso pode ser útil pra alguém que passe pela mesma situação. Quando o Theo fez 1 ano e 3 meses, ficou fissurado por carrinhos. Mas ele brincava com os carrinhos de uma forma pouco usual: deitava no chão e ficava passando o carrinho pra lá e pra cá, olhando as rodinhas se mexerem. Um pouco mais tarde, começou, também, a virar o carrinho ao contrário e girar as rodinhas. Ele ficava horas naquilo, se deixássemos. Por mais estranho que parecesse, sempre tinha algum parente ou amigo pra dizer “mas fulano brincava sozinho qdo era pequeno” ou coisa parecida. Então, ignoramos isso também.

Andando, sem rumo, pela praia


O dvd era a única salvação


Por mais que o pai chamasse, não olhava para a câmera


Também notamos que ele não dava mais “tchau” e nem batia palminhas. Apesar de tudo isso, continuava cantando suas musiquinhas, falando algumas poucas palavras e, como sempre, muito afetuoso e brincalhão, pelo menos comigo e com o Leandro. Com quem não conhecia, agia como uma criança tímida: na maior parte do tempo, ignorava.

É importante pontuar que levávamos o Theo à pediatra periodicamente. E ela nunca notou nada de estranho nele. Como fui descobrir depois, a maioria absoluta dos pediatras não sabe reconhecer sinais de autismo em uma criança nessa idade.

  1. Facebook

  2. Twitter

  3. E-mail

#autismoinfantil #sintomasautismo #andreawerner #sobreautismo #diagnósticoprecoce #autismo #oautismo #primeirossinais #criança #sintomasdeautismo #oqueautismo #autista #autistas

Quem somos

Missão e Valores
Seja uma embaixadora

Blog

Loja

Eventos

Política de privacidade
Imprensa

Contato

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube

Copyleft © 2020 Instituto Lagarta Vira Pupa.

 

O conteúdo deste site, exceto quando proveniente de outras fontes ou onde especificado o contrário, está licenciado sob a Creative Commons by-sa 3.0 BR.