Toda criança pode aprender

Tenho um filho de 7 anos, o Theo. Theo não gosta dos brinquedos que as crianças geralmente gostam. Não curte carrinhos, Lego, nem videogame. Mas ama brincar no Ipad, onde monta quebra-cabeças, dá comida para os animaizinhos, veste roupa em um boneco, corta o cabelo do Papai Noel e vê vários vídeos musicais em vários idiomas. Theo ama piscina ou qualquer coisa que tenha água! Também gosta de jogar a bola, de ganhar cócegas, de subir nas costas do pai e adora tomar susto! Theo ama arroz com feijão e passear de carro pra qualquer lugar que seja. Adora andar de avião e quer sempre ir na janela pra grudar o nariz do vidro quando ele decola e fazer “cara de uau”.

Theo ama a Lola, sua cachorra, apesar deles se estranharem de vez em como irmãos normais o fazem. Theo tem barulhinhos de felicidade e barulhinhos de aborrecimento.

Quando está triste, Theo chora. Às vezes, deita no chão também. Nessas horas, vou até ele e falo com a voz bem calma “mamãe percebeu que você está triste, mas vai ficar tudo bem”. E fica. Sempre fica.

Theo abraça, beija, gruda, aperta. Theo ama muito. Ama os avós que moram longe, ama a mamãe e o papai, a Lola, ama o tio Mark da escola.

Theo foi diagnosticado com autismo aos 2 anos de idade. Na época, o médico disse que era autismo leve. Com o tempo, percebemos que ele se enganou. Theo é autista severo e não verbal (não fala).

Theo é só uma criança com algumas dificuldade adicionais. Mas ele pode aprender. E está aprendendo! Por exemplo: ele está aprendendo a se comunicar.  


Olha aí o problema dos PECs (comunicação alternativa por troca de figuras)! ???????????? #theoesperto #theolindo #pecs #autismo #autism

A video posted by Blog Materno | Andrea Werner (@lagartavirapupa) on Sep 18, 2015 at 12:16pm PDT


E o Theo, agora, também está sendo alfabetizado.

AL-FA-BE-TI-ZA-DO

Theo está sambando na cara da sociedade. É brasileiro, já morou em Londres, e está sendo alfabetizado EM SUECO. Theo entende sueco melhor que a mamãe que vos fala. E, quando vi esse vídeo ontem, chorei. Chorei muito e tive vontade de gritar pro mundo “MEU FILHO SABE ESCREVER O NOME!!!!”.  


Já falei lá em cima que o Theo ama o tio Mark. O Tio Mark estudou, se especializou. Ele entendeu que qualquer criança pode aprender, mas que algumas aprendem de formas diferentes. E ele buscou informação para saber como ensinar essas crianças. Tio Mark ama o que faz. Theo percebe. E retribui aprendendo com prazer e motivação.

Toda criança pode aprender. Todo ser humano tem potencial. Já se foi a época em que crianças com deficiências ficavam afastadas da sociedade, escondidas em quartos escuros ou trancadas em instituições.

Já se foi a época, também, em que a única atividade que achavam que essas crianças podiam fazer era pintura a dedo. MEU FILHO ESCREVE O NOME! Não com o lápis, mas escreve! Não passa o dia fazendo pintura a dedo!

Tudo é adaptável. Tudo pode ser ensinado. Basta querer. Basta abrir o coração e buscar a informação. Ela está disponível pra quem quiser.

Acima de tudo, há que mudar a mentalidade de que escola (principalmente particular) é como uma empresa qualquer e só serve para dar lucro e encher os bolsos de alguns. A escola tem uma missão social muito maior que essa! Abram os olhos! A criança com deficiência tem o direito de ir para a escola e aprender como todas as outras! Conformem-se e informem-se com a nova realidade!  

Nota para os queridos educadores que seguem este blog e querem informação! 

Arquivo 25-09-15 09 51 28

Aqui vai a técnica no Tio Mark:

  1. A criança é ensinada a colocar a palavra sobre a foto com palavra. No início, você terá que guiar a mão dela com a sua. Vá tirando a ajuda até que ela faça sozinha. Recompense sempre a tentativa!

  2. Aos poucos, a criança vai memorizar a palavra. A partir daí, a tarefa passa a ser ligar a palavra à foto.

  3. Por fim, você separa as letras da palavra. Comece tirando a última letra da direita. Pergunte a ela algo relacionado à imagem. Nesse caso específico, a pergunta é “qual o seu nome?”, mas poderia ser “qual o nome desse objeto?”. Guie a mão da criança para levar a última letra de volta ao lugar. Repita a palavra inteira. Recompense a tentativa, sempre! Vá tirando o suporte até ela levar a letra sozinha. A partir daí, você começa a tirar duas letras (sempre do final pro início) e ela deve completar. O processo é o mesmo até tirar todas as letras.

Imagem: arquivo pessoal

  1. Facebook

  2. Twitter

  3. E-mail

#blogmaterno #criançacomautismo #autismoinfantil #autistanaescola #andreawerner #inclusãoescolar #autismo #criançaautista #criançacomdeficiência #alfabetizaçãodecriançaautista #blogdemãe #oqueautismo #transtornosdoespectroautista #autista