A vida: Emily Brontë

E, nesse dia em que tanto se fala sobre renascimento e esperança, trago pra vocês esse lindo poema da Emile Brontë sobre a vida. Parece que foi feito sob medida pra mim e pra muita gente boa que eu conheço. 🙂

A VIDA (Emily Brontë)

A vida, acredita, não é um sonho

Tão negro quanto os sábios dizem ser.

Freqüentemente uma manhã cinzenta

Prenuncia uma tarde agradável e soalhenta.

Às vezes há nuvens sombrias

Mas é apenas em certos dias;

Se a chuvada faz as rosas florir

Ó porquê lamentar e não sorrir?

Rapidamente, alegremente

As soalhentas horas da vida vão passando

Agradecidamente, animadamente

Goza-as enquanto vão voando.

E quando por vezes a morte aparece

E consigo o que de melhor temos desaparece?

E quando a dor se aprofunda

E a esperança vencida se afunda?

Oh, mesmo então a esperança há-de renascer,

Inconquistável, sem nunca morrer.

Alegre com a sua asa dourada

Suficientemente forte para nos fazer sentir bem

Corajosamente, sem medo de nada

Enfrenta o dia do julgamento que vem.

Porque gloriosamente, vitoriosamente

Pode a coragem o desespero vencer.

Emily Brontë

Imagem: Shutterstock

  1. Facebook

  2. Twitter

  3. E-mail

#avida #andreawerner #poemaemilebronteavida #poemasobreavida

Quem somos

Missão e Valores
Seja uma embaixadora

Blog

Loja

Eventos

Política de privacidade
Imprensa

Contato

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube

Copyleft © 2020 Instituto Lagarta Vira Pupa.

 

O conteúdo deste site, exceto quando proveniente de outras fontes ou onde especificado o contrário, está licenciado sob a Creative Commons by-sa 3.0 BR.