Apertem os cintos!

Post rápido enquanto o Theozão se diverte na banheira! Vida de mãe em tempo integral (de criança ainda sem escola) é assim! 🙂 Chegamos em Londres há 1 semana. São onze horas de viagem…ui…pois é. Sempre que alguém me falava em viagem internacional com uma criança desse tamanho (e autista), eu tinha arrepios. Mas procurei focar no meu mantra: “o Theo sempre me surpreeende”. E deu certo. Viagem longa de avião é desafio pra qualquer criança. Para uma autista, é ainda maior. Elas entram em tédio mais facilmente, sofrem com a sobrecarga sensorial, muitas são hiperativas e têm dificuldades com o básico: ficar sentadas no assento com o cinto afivelado. Para que tudo ocorresse com o mínimo de stress possível, usei dois expedientes: preparação e acessórios.

A PREPARAÇÃO

Uma semana antes da viagem, comecei a mostrar pro Theo a história social. Falei um pouco dessa ferramenta nesse post AQUI. Isso ajuda a preparar a criança para o que vai vir, inclusive as partes não tão boas (como as filas que a gente teria que pegar). Hoje, tenho certeza de que isso foi essencial para o Theo estar mais calmo no dia.


a história social da viagem de avião

a história social da viagem de avião


Outra coisa que ajuda é deixar mais concreta, na cabeça da criança, a passagem de tempo até o evento. Para isso, fiz um calendário e colei na parede. Cada dia que passava, eu levava o Theo até ele e o fazia riscar um dia.


O calendário com a contagem regressiva para a viagem

O calendário com a contagem regressiva para a viagem


OS ACESSÓRIOS

1. Mochila: achei importante estar com as duas mãos livres, e uma bolsa iria complicar isso.

2. Conector: segunda coisa importantíssima para se ficar com as duas mãos livres…e para manter a criança calma ao seu lado em um aeroporto enorme como o de Londres. Garanto que foi meu melhor amigo! (Se você ainda não conhece o Conector, clique AQUI).

3. Dramin: conversei com alguns médicos para saber a dosagem exata pro Theo, principalmente porque ele já toma outra medicação. Mas a ideia era dar o Dramin assim que entrássemos no avião e torcer pra ele dormir o máximo possível da viagem.

4. Ipad: pode também ser um dvd portátil, um brinquedo favorito, mas o importante é ter algo que seja capaz de distrair seu filho nos tempos de espera.

5. Guloseimas: para distração, “suborno”, ou mesmo para dar pra ele caso ele não curta a comida do avião.

AFINAL, E AÍ?

E aí que as crianças não agem sempre como a gente planeja. Eu queria muito que o Theo tirasse uma sonequinha no dia da viagem pra estar mais disposto no aeroporto à noite, já que o voo só saía à meia-noite e ele, normalmente, vai dormir às 20hs. Mas ele se recusou…claro!

Fiquei até imaginando a cabecinha dele: “me falam uma semana inteira que hoje eu vou viajar de avião, daí me dão janta e querem me colocar na cama??”. O resultado foi que ele ficou acordado, grogue de sono, e só capotou no carro a caminho do aeroporto…onde acordou, de novo, após algum tempo de colo em colo.


Dando tchau e mandando beijos pro vovô, vovó, tias e tio no aeroporto antes de embarcar...

Dando tchau e mandando beijos pro vovô, vovó, tias e tio no aeroporto antes de embarcar…



Theo e Pato (RIP) embarcados no avião

…E, depois, Theo e Pato (RIP) embarcados no avião.


Mas, como reza o meu mantra, foi tudo muito mais tranquilo do que eu esperava. Theo realmente surpreendeu. Agiu como um rapazinho todo o tempo e enfrentou as filas com relativo bom humor. Dormiu logo que o avião decolou (ele nunca perde essa parte!) e só acordou faltando 2 horas pra viagem acabar. Ficou calmo ao meu lado (ganhando umas balinhas), usando o conector, enquanto esperávamos as malas no aeroporto de Londres. E deu o sorriso mais gostoso do mundo ao ver o pai esperando no desembarque!

A conclusão: a gente se prepara e eles nos surpreendem. Nunca deixe de fazer certos passeios por medo de como seu filho vai reagir!

No próximo post, vou falar um pouco de como têm sido nossos primeiros dias por aqui!


  1. Facebook

  2. Twitter

  3. E-mail

#autismoinfantil #viagemdeaviãocomcriançaautista #andreawerner #sobreautismo #autismo #oautismo #viageminternacionaleautismo